Polícia russa prende casal gay que prestava homenagem aos mortos de Orlando

2016-915995386-201606131320440082_RTS.jpg_20160613

O russo Islam Abdullabeckov e seu namorado Felix Glyukman ficaram, como muitos em boa parte do mundo, chocados com o ataque de ódio a tiros em uma boate gay que deixou 49 mortos e 53 feridos em Orlando, nos Estados Unidos. Tanto que decidiram prestar uma homenagem aos mortos no massacre.

O casal comprou flores, velas e fizeram um cartaz escrito “O amor vence”, em inglês, para deixar na porta da Embaixada dos Estados Unidos em Moscou, capital da Rússia, onde moram. Só que, antes mesmo de começarem os trabalhos, foram presos por policiais locais, acusando os dois de violarem as leis do país.

“Quando viemos colocar o cartaz no chão, o policial o segurou e nos disse que deveríamos sair”, contou Glyukman em entrevista a um jornal local. “Estamos em estado de choque. Isso é muito estranho e muito triste”, acrescenta. Detidos por três horas, o casal foi acusado de não prestar informações sobre um “evento público”.

Desde domingo, russos têm deixado flores e bilhetes em frente à embaixada dos EUA para expressar suas condolências às vítimas do ataque à boate gay Pulse, na Flórida, em que 49 pessoas foram mortas e 53 ficaram feridas.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!