Cantora gospel é banida de importante premiação religiosa após comentários homofóbicos

kim-burrell-grief-a-different-place600

Não está sendo nada fácil para Kim Burrel! Após ter sua participação no programa de Ellen Degeneres cancelada pela própria apresentadora, a cantora que atacou à comunidade LGBT acaba de sofrer mais um boicote, desta vez dentro de um importante prêmio de música gospel norte-americana, o BMI Trailblazers of Gospel Music.

A organização do evento, marcado para o dia 14 de Janeiro, soltou em nota um comunicado cancelando a participação de Kim. “Dada a controvérsia em torno da co-homenageada deste ano, Kim Burrell, pedimos-lhe para não participar da cerimônia, a fim de permitir que o foco permaneça nos compositores e sua música”, informou.

“O BMI foi fundado há mais de 76 anos com uma política de portas abertas para receber compositores em todos os gêneros, e esse mesmo espírito de tolerância, diversidade e inclusividade continua hoje”, continuaram. Além disso, o evento fez questão de cancelar a homenagem que prestaria a artista, homenageando, então, o cantor Marvin Sapp.

Declarações polêmicas

Em um vídeo divulgado no final de dezembro nas redes sociais, Kim aparece em uma igreja dando um sermão repleto de declarações homofóbicas!

“Todo mundo nesta sala que está cheio do espírito homossexual, implore a Deus que o liberte. Você brinca com isso, o que isso significa? Você vai morrer. Você brinca com ele na casa de Deus em 2017, você vai morrer com isso. Você como homem, que abre a boca e toma o pênis de um homem em seu rosto, você é pervertido. Você que é mulher e vai sacudir o rosto no seio de outra mulher, você é pervertida”, diz a cantora.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!