SP: Tatuadora cobre gratuitamente cicatrizes de agressão em vítimas de homofobia

A tatuadora paulista Ka Montenegro começou uma iniciativa social incrível! Através do seu estúdio, ela se oferece para, sem custos, cobrir marcas de agressão em casos de homofobia e violência doméstica contra a mulher.

“A inspiração veio do projeto de uma moça no Sul, em que ela cobria as cicatrizes de mulheres vítimas de agressão. Pensei que podia fazer o mesmo pelas mulheres daqui”, ela conta. A vontade de estender a iniciativa para casos de homofobia veio quando ela passou a frequentar a noite gay de São Paulo, em festas como a Hangover. “Vi que haviam outras minorias que precisavam de ajuda e atenção, foi quando expandi meu projeto para atender também aos LBGTs”, completa.

Por conta do projeto, Ka acaba ficando a par de histórias de vida bem pesadas e conta que fica indignada com os casos de ódio gratuito que ouve. “Fico abismada! Como uma pessoa pode dar uma facada em alguém apenas por decidir que iria agredir outra pessoa? Apenas por ignorância?”, questiona a tatuadora. “Me senti mal de como as pessoas estão extremamente vulneráveis a esse tipo de ataque. Por esse e muitos outros motivos decidi fazer o que está ao meu alcance”.

Arrasou demais, né?! Tudo que ela pede é que seja apresentado o boletim de ocorrência da agressão, como uma forma de incentivar a denúncia. A quem interessar, Ka Montenegro é proprietária do estúdio Sete Três Tattoo&Piercing, em Cotia (SP), na Avenida Senador Feijó, 204. 😉

Confira fotos do trabalho do estúdio…


O Pheeno.com.br é um portal de notícias, estilo de vida e entretenimento LGBT do Rio de Janeiro, antenado também em tudo que acontece de importante para o segmento no Brasil e no mundo!