Ator pornô abandona a indústria e revela os efeitos devastadores no seu corpo

O ator Christopher Zeischegg, de 31 anos, conhecido como Danny Wylde, decidiu abandonar a indústria de filmes pornô depois de oito anos. Ele chegava a faturar uma grana de até 4 mil dólares por uma semana de trabalho com homens e mulheres.

Foram mais de 600 cenas de sexo, até que o estigma e os efeitos de remédios contra disfunção erétil lhe fizeram tomar a decisão. “Ao longo de oito anos de carreira, eu parei na emergência de hospitais por três vezes, todas por priapismo [quando o pênis ereto não consegue retornar ao seu estado flácido habitual e é doloroso]. Depois da terceira vez, o médico me disse que, se eu continuasse a usar remédios para manter a ereção, eu poderia causar danos irreversíveis ao meu pênis – até mesmo impotência. Larguei o pornô no dia seguinte”, contou Zeischegg.

“O trabalho não valia a pena para colocar minha saúde em risco”, disse ele em entrevista à Forbes. “Durante os primeiros anos de minha carreira, eu não estava realmente focado em ganhar dinheiro com pornografia ou tratá-la como um negócio. Eu era um estudante em tempo integral e apenas tentando pagar minhas contas enquanto estava na escola”.

Sobre os motivos de ter entrado na indústria, ele respondeu: “Obviamente, muito disso era financeiro. Mas perto do final da minha carreira, comecei a me concentrar mais em fazer cenas e em ser uma “estrela pornô”.

O ator estudou artes cinematográficas na Universidade do Sul da Califórnia e agora está começando sua própria produtora de vídeo. Mas ainda continua no meio pornô. “Meu trabalho diário é produção de vídeo e pós-produção. No momento, estou trabalhando como freelancer. Mais de metade dos meus clientes são da pornografia”, relatou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 21 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Comentários no Facebook