Amigos gays criam time de futebol para fugir do preconceito

“Pasmem, tem um bando de gay jogando bola por aí. E vou te contar um segrego, os jogos lotam”. Essa é a descrição do Unicorns FC de São Paulo na página do Facebook do time. O objetivo do time criado em 2015 é reunir pessoas LGBT para se divertir e jogar futebol em um clube no Ipiranga, zona sul de São Paulo.

Os participantes não precisam ser bons jogadores, apenas seguir os valores disseminados pelo grupo de amigos que compõe o Unicorns FC de São Paulo: dar oportunidade e incentivo para gays que gostam de futebol, mas foram e são excluídos do esporte na escola ou em seus ambientes de trabalho; ocupar um espaço social ainda basicamente dominado por homens heterossexuais.

“Demos um basta ao trauma de ser o último escolhido no time da escola, no bullying que sofremos por não jogarmos bem. O que predomina aqui é o espírito do unicórnio, que remete à diversão, a essa coisa nada a ver com um time convencional”, diz Bruno Hist, de 29 anos, diretor de arte e integrante do time ao jornal Folha de S.Paulo.

Atualmente, o Unicorns FC de São Paulo tem cerca de 50 integrantes que se reúnem semanalmente para jogar e treinar. Os treinos do time amador têm, inclusive, torcida organizada formada basicamente pelos maridos e namorados dos jogadores, os “unicórnios”, como se auto intitulam.

Para participar do time, não precisa se enquadrar em nenhum estereótipo físico, basta se identificar com a proposta do grupo e se inscrever na página oficial do grupo no Facebook.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 21 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Comentários no Facebook