ONG pretende fazer 5000 testes rápidos para HIV em 2017 no estado do Rio

Getty

De acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde, divulgados no final de 2016, estima-se que 112 mil pessoas não conhecem sua sorologia. Fazer com que mais pessoas conheçam sua sorologia, e assim possam ser devidamente orientadas e iniciar o tratamento, segundo especialistas, é uma das estratégias para diminuir o número de novas infecções e controlar a epidemia de Aids.

Para enfrentar esse desafio, no Rio de Janeiro, o Grupo Pela Vidda-RJ vem atuando desde 2014 no Programa Viva Melhor Sabendo, do Ministério da Saúde, através de campanhas de testagem do HIV. Em 2016, a ONG realizou 2.500 testes rápidos para HIV com a ampliação das ações através do projeto Rio Stop Aids, em parceria com AHF Brasil. A meta agora é dobrar o número de testagens rápidas que realiza, tanto na sua sede, como em ações externas nos primeiros meses de 2017.

Somente este ano já foram realizados 1.700 testes rápidos. A expectativa é chegar a 5 mil testes, ampliando ações na Baixada Fluminense e na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Dados apontam preocupação com as taxas de incidência entre os mais jovens e homens gays com mais de 30 anos. Os números batem com os dados apresentados pelo MS. De acordo com o último boletim epidemiológico, os jovens gays continuam sendo os que mais apresentam novas infecções.

Márcio Villard

“Muitas pessoas nunca realizaram o teste pelo preconceito de ir até a unidade de saúde, de solicitar o teste para um médico. Quando eles encontram uma equipe que os acolhe, eles aderem melhor a testagem. De jovens até pessoas mais velhas, a gente vê um grande número de pessoas que fazem o teste pela primeira vez em ações externas. Precisamos desconstruir o preconceito com o HIV e sensibilizar sobre a importância da testagem”, destacou Márcio Villard, coordenador de projetos do Grupo Pela Vidda-RJ, que há 28 anos luta pelos direitos e pela cidadania das pessoas que vivem com HIV e Aids no Rio.

Os interessados podem fazer o teste rápido na sede do grupo, no Centro do Rio, de terça a sexta-feira, a partir das 14h, ou nas ações que são realizadas pelo grupo no centro do Rio, em boates, saunas, festas, eventos LGBT e em parceria com instituições que queiram difundir a prevenção e o diagnóstico precoce. A testagem sempre conta com acompanhamento e orientação psicológica, além de informações sobre o vírus, prevenção combinada (PEP e PREP), janela imunológica e tratamento.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 21 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Comentários no Facebook