Hospital é condenado a indenizar família após falso diagnóstico de HIV

Um hospital particular do Distrito Federal foi condenado a pagar uma indenização no valor de R$ 40 mil à família de uma paciente que teria recebido o diagnóstico de “falso positivo” para a contaminação pelo vírus HIV.

De acordo com o processo, a paciente deu entrada no Hospital São Francisco, em Ceilândia, para o parto da filha. O caso aconteceu em 2016. Na ocasião, ela foi submetida a exames de sangue que teriam apontado o resultado como “francamente reagente” ao vírus causador da Aids.

Em seguida, mãe e filha recém-nascida teriam sido separadas e medicadas com antirretrovirais que, segundo o texto, teriam “provocado efeitos colaterais à criança”. “A paciente também teve as mamas enfaixadas, sendo orientada a não amamentar a recém-nascida”, diz a decisão. Um exame posterior, chamado de contraprova, concluiu que não havia infecção viral.

Ao longo do processo, a paciente narra, ainda, ter sofrido “choque emocional” e ofensas motivadas pela acusação de infidelidade conjugal. Nos autos, a mulher contou que foi vítima de “preconceito por parte dos agentes de saúde” do hospital, que “expuseram os fatos a outros pacientes e acompanhantes”.

Como compensação por danos morais, a sentença determinou o pagamento de R$ 15 mil para a mãe, R$ 15 mil para o marido e R$ 10 mil para a criança.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!