Primeira vereadora trans toma posse na Câmara de Vereadores de Porto Alegre

Pela primeira vez, a Câmara de Vereadores de Porto Alegre terá uma vereadora trans. Luísa Stern, suplente com cerca de 500 votos nas últimas eleições municipais, atuará na casa nos dias 7, 8 e 9 de março, em uma vaga aberta com a licença de um colega de legenda.

Luísa explica que é o próprio partido, o PT, que estimula o “rodízio”, em que dois vereadores pedem licença do cargo em datas significativas, para dar lugar a pessoas que representem uma causa. Para marcar o Dia Internacional da Mulher, Marcelo Sgarbossa e Aldacir Oliboni pedirão licença, para oportunizar a atuação parlamentar de duas mulheres suplentes. Em seus lugares, estarão Luísa Stern e Natália Alves.

Luísa acredita que a sua presença na casa pode ser considerada histórica. “Uma questão que acho que é a maior de todas é a visibilidade, quebrar uma barreira, romper com preconceitos, no sentido de ser a primeira vereadora trans de Porto Alegre”, diz ela. A eleição de 2016 foi sua primeira tentativa de ocupar uma vaga no legislativo municipal, e ela estuda concorrer novamente em 2020.

Mesmo breve, Luísa quer aproveitar seu mandato para cobrar medidas da prefeitura. “Uma delas é o descaso que a prefeitura tem com os conselhos municipais”, diz ela. Além disso, defende a criação de um novo conselho, que cuide dos direitos do LGBT. “Tem que ser iniciativa do município, mas eu, como vereadora, posso cobrar”, afirma.

Advogada e participante de movimentos e organizações de luta pelos direitos de igualdade, ela acredita que sua presença na Câmara pode mostrar para todas as trans que elas têm oportunidade ocupar também este espaço.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!