“Ser gay é o melhor presente que Deus me deu”, diz Tim Cook, presidente da Apple

(Foto: David Paul Morris/Bloomberg via Getty Images)

Há quatro anos, Tim Cook revelou ser gay, se tornando o primeiro CEO de uma grande empresa a se assumir homossexual publicamente. Em entrevista a Christiane Amanpour, da CNN International, o executivo se disse feliz pela distinção e decisão. Sua preferência sexual vinha sendo especulada mesmo antes do anúncio.

“Tenho muito orgulho disto. Foi o maior presente que Deus me deu”, disse Cook na entrevista. O CEO declarou ser uma pessoa reservada, mas que se considerava egoísta ao não confirmar isto publicamente, e que poderia ajudar pessoas e a causa ao se abrir em relação a sua orientação sexual. “Comecei a receber emails de jovens que liam histórias online de que eu seria gay. Eu precisava fazer algo por eles”.

“Queria demonstrar para jovens gays de que era possível ser assim e ter empregos importantes”, continuou. Cook ainda se disse em choque por ter sido o primeiro CEO de uma empresa da lista Fortune 500 (das maiores e mais influentes companhias do mundo) a se assumir, e que fica feliz ao ver outros executivos seguindo seus passos e anunciando sua orientação sexual.

Ele disse também que isso o fez ser um melhor líder, além de tê-lo feito mais forte. “Eu aprendi o que é ser de uma minoria, e isso trouxe a mim uma maior capacidade de sentir empatia. Acontece que essa decisão me beneficiou para exercer meu trabalho”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!