Toy Story 4 sofre críticas por exibir casal de lésbicas

Vai ter lésbica em animação da Disney SIM!

Toy Story 4 estreou nos cinemas, oficialmente, no dia 20 de junho e não demorou muito tempo para receber críticas, positivas e negativas, por uma singela aparição de um casal de lésbicas no filme, tentando tornar esse pequeno gesto em um apoio aos LGBTs, nas futuras gerações.

O longa de animação da Disney, em parceria com a Pixar, mostra um casal de duas mães deixando seu filho na mesma creche de Bonnie, a nova dona do boneco Woody (um dos personagens principais da franquia). O mesmo casal, posteriormente, volta à creche para buscar seu filho.

Ambas as cenas são muito pequenas, mas já causaram grande repercussão. Ativistas comemoram e consideram a atitude da Disney “pequeno, mas importante momento de representação LGBTQ”, uma vez que o filme é um dos lançamentos mais esperados do ano, para o público infantil.

Porém, o longa metragem vem sendo boicotado por diversos grupos religiosos nos Estados Unidos e, também, em outros país, tendo sido alvo de comentários como “último lugar onde os pais esperam que seus filhos sejam confrontados com conteúdo relacionado à orientação sexual. Questões dessa natureza estão sendo introduzidas cedo demais e cedo demais”.

Kate Gardner, do site The Mary Sue, fez elogios e observações sobre o filme: “Aqui estava um grande filme para toda a família, um dos maiores lançamentos da Disney Pixar, e eles incluíam um casal de lésbicas com seu filho. É um pequeno momento de normalização. Este não é um seriado no Netflix, ou um episódio proibido de Arthur. É um filme da Disney e da Pixar, que mostrou duas mulheres cuidando de seu filho, juntas”.

Essa não é a primeira vez que as produtoras de animação incluem um casal de lésbicas em seus filmes, em 2016, no longa “Procurando Dory”, também é possível perceber, mesmo que rapidamente, um casal de duas mulheres, preocupadas com seu bebê que havia sido trocado por alguns instantes.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e o mais novo colaborador para conteúdos sobre diversidade LGBTQIA+ para o portal Pheeno.com.br