Escrivã terá que pagar $225 mil dólares de multa por se recusar a registrar casamento homoafetivo

A escrivã do Condado de Rowan, em Kentucky, nos Estados Unidos, Kim Davis, terá que desembolsar a quantia de R$ 225 mil dólares (quase 1 milhão de reais) em multas por se recusar a registrar uniões gays no cartório onde trabalhava.

Kim ganhou atenção internacional em agosto de 2015, quando ela a recusar a registrar o casamento de casais LGBTs, embora a Suprema Corte já tivesse legalizado a união entre pessoas do mesmo sexo. Segundo a escrivã, registrar essas uniões iria contra suas convicções pessoais e religiosas, já que elas seriam “contra a lei de Deus”. Por desrespeitar a lei enquanto ocupante de um cargo público, Kim foi condenada a cinco dias de prisão na mesma época

O processo tramitou na justiça até recentemente quando ficou decidido que o Estado de Kentucky deveria arcar com U$ 225 mil dólares de multa, ao que o Estado recorreu alegando inocência e responsabilidade da escrivã que agiu por conta própria e sem o aval de terceiros ou do próprio Estado. A justificativa foi acatada pelo juízo e agora Kim Davis terá que pagar a multa de 225 mil dólares sozinha. O tribunal também garantiu o direito de casais que se sentiram lesados também processarem a servidora pública.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!