20ª edição do Grammy Latino tem o maior número de artistas LGBTs brasileirxs indicadxs

Vai ter LGBT brasileiro no Grammy SIM!

No próximo dia 14 de novembro está marcada a 20ª premiação do Grammy Latino e, nesse ano, o Brasil bate recorde de artistas LGBTs indicadxs aos prêmios.

O Grammy Latino, que serve de vitrine para o Grammy Awards (premiação americana original, criada em 1957), foi criado em 2000, com o objetivo de homenagear os artistas que cantam nas línguas derivadas do latim.

Existia, até a edição de 2016, uma categoria denominada “Brasileira”, especialmente para premiar a produção fonográfica do Brasil, mas o nome dessa categoria foi modificado para “Música em língua portuguesa” e segue assim até então.

Na premiação que acontecerá na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, dia 14/11, celebrará os 20 anos de existência do Grammy Latino e, nesse ano, o Brasil tem o maior número de indicações de artistas LGBTs, em diversas categorias diferentes.

A lista de indicações foi divulgada na tarde dessa quarta-feira, dia 24/09, e nela aparecem diferentes nomes que representam a música produzida no nosso país, mas, o que gostaríamos de ressaltar é que, em 20 anos de existência, pela primeira vez, pelo menos 10 artistas ligados ao movimento LGBT de forma direta ou indireta, receberam diferentes indicações:

Liniker e os Caramelows, que concorrem ao prêmio de ‘Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa’ com “Goela Abaixo”.

As Bahias e a Cozinha Mineira, concorrendo como ‘Melhor Álbum de Pop Contemporâneo’ com “Tarântula”.

Mart’nália, indicada na categoria ‘Melhor Álbum de Samba/Pagode’ com “Mart’nália canta Vinícius de Moraes”.

Zélia Duncan, concorrente da categoria ‘Melhor Álbum de Música Popular Brasileira’, com “Tudo é Um”.

Mahmundi, também concorrendo na categoria ‘Melhor Álbum de Pop Contemporâneo’ com “Para Dias Ruins”.

Na mesma categoria que As Bahias e a Cozinha Mineira e Mahmundi, estão concorrendo também, Ana Cañas, com o álbum “Todxs” e ANAVITÓRIA, com “O Tempo é Agora”.

Representatividade é muito importante, principalmente nos dias atuais, onde ao mesmo tempo em que conseguimos conscientizar a população sobre as nossas questões (ainda que em passos curtos), estamos sendo censurados e atacados por puro preconceito, que, na maioria das vezes, beira a ignorância.

O Brasil nunca teve tantos artistas LGBTs sendo indicados a uma das maiores premiações da indústria fonográfica mundial. Essa é a hora de nós, brasileiros LGBTs, não soltarmos a mão de ninguém e enaltecermos quem está nos representando naquele palco, por enquanto em forma de indicação, mas quem sabe, ganhando prêmios por seus trabalhos.

Essa e a oportunidade de quem não conhece ainda o trabalho dessxs artista, conhecer, e também é o momento de colocarmos as músicas delxs no ‘repeat’ das nossas plataformas de streaming, porque juntos sempre seremos mais fortes. Para acessar a lista completa de indicações, basta clicar aqui.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos, designer gráfico, editor de vídeos, dono de concursos drag e o mais novo colaborador para conteúdos sobre diversidade LGBTQIA+ para o portal Pheeno.com.br