Chris Martin, do Coldplay, admite que tinha medo de ser gay na adolescência: “Eu era muito homofóbico”

Chris Martin, vocalista do Coldplay, revelou em entrevista à Rolling Stone que era homofóbico no passado. Segundo o cantor, que estudou em um internato só para meninos quando era jovem, ele se preocupava bastante com as ofensas homofóbicas dos outros estudantes e admitiu que tinha medo ser gay por conta do bullying e do preconceito dentro do colégio.

“Eu também era bastante homofóbico, porque eu pensava, ‘se eu for gay, estou completamente ferrado pela eternidade’, e eu estava meio que descobrindo a minha sexualidade. ‘Talvez eu seja gay, talvez eu seja isso, talvez eu seja aquilo, eu não posso ser isso’, eu ficava aterrorizado”, contou ele. “Eu estava no internato com um monte de crianças duronas, que me diziam, ‘Você é definitivamente gay’, meio que de uma forma agressiva, e isso foi estranho para mim por alguns anos… E eu não sabia se era, e não podia ser porque achava que era errado. Eu realmente comecei a me preocupar com isso”, continuou.

“Aos 15 anos, eu não sei o que aconteceu, mas eu fiquei, tipo, ‘Sim, e daí?’, e isso passou durante à noite. Foi bem interessante quando eu pensei ‘E daí se eu for gay?'”, explicou o vocalista. “Isso fez eu me perguntar, ‘Ei, essas coisas que estou aprendendo sobre Deus e tudo mais, não tenho certeza se concordo com toda essa religião em particular”, disse ele. “Então, por alguns anos isso ficou um pouco instável e eventualmente eu pensei, ‘Ok, acho que tenho minha própria relação com o que eu acho que é Deus, e não é realmente uma religião para mim'”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!