J.K. Rowling recebe críticas após apoiar pesquisadora transfóbica

A autora J.K. Rowling, famosa por escrever a série de livros Harry Potter, foi acusada de transfobia pelos internautas após defender uma mulher demitida do trabalho por dizer no Twitter que “homens não podem se transformar em mulheres”.

Maya Forstater foi demitida do Centro de Desenvolvimento Global, um instituto internacional, depois de postar no Twitter sua oposição a uma proposta do governo britânico que tornaria mais fácil para os transgêneros mudarem de sexo legalmente. Alguns colegas levantaram preocupações de que os tuítes fossem transfóbicos, uma acusação que Forstater rejeitou. Ela disse que apoia os direitos humanos de todos, mas sustenta que não é possível mudar de sexo.

Rowling twittou endoçando as opiniões da mulher: “Vista-se como você quiser, chame-se do nome que vc quiser, transe com qualquer aduto que consinta e queira você, viva sua melhor vida com paz e segurança. Mas demitir mulheres de seus empregos por dizer que que sexo é real?”, disparou Rowling. O comentário foi o suficiente para deixar os fãs decepcionados e chateados com a escritora. “Minha filha, que é trans, é uma grande fã sua. Fico chocada ao ver você postar algo indicando que a discrimina”, disse uma seguidora.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!