Empresário da moda, Eduardo Costa é denunciado por assédio sexual gay

Escândalo no mundo da moda! O empresário e cabeleireiro Eduardo Costa, criador da marca Brechó Replay, coletivo de moda que já desfilou na Casa dos Criadores, está sendo acusado de assédio sexual por diversos modelos, coreógrafos e diretores de criação que já trabalharam com ele. Algumas das vítimas falaram sobre os episódios ao site da Marie Claire.

“Usava roupas apertadas, marcando as partes íntimas em fotos sexualizadas dirigidas por ele. Eu não tinha noção do que estava acontecendo, mas ele terminava os ensaios passando a mão na minha bunda e no meu pênis. Acabamos ficando próximos por dois anos. Até que em uma festa, me enquadrou usando apenas cueca. Falei que não queria e fui embora. Não nos falamos mais”, conta uma das vítimas, que tinha 15 anos quando participou de uma sessão de fotos da marca e nunca tinha feito um trabalho desse tipo profissionalmente.

“Não rolava cachê, só permuta, o que eu não fui pegar. No ensaio, que era de cueca, o Eduardo já nos olhava de forma objetivada. Ele olhava os volumes nas cuecas e disse que precisava arrumar: colocou a mão dentro da minha cueca, chacoalhou meu pinto como queria que ficasse. Depois, dava um jeito de encostar o corpo dele no nosso, como se estivesse esbarrando. Ainda trabalhamos juntos mais duas vezes e sempre foi abusivo e anti-profissional. Não culpo a indústria, o único culpado é o Eduardo Costa”, disse modelo de 30 anos, que conheceu Costa quando estava com 25 anos, através do Instagram.

“Participei do primeiro ensaio da Brechó Replay, que aconteceu em 2015. Tinha 18 anos e conheci o Eduardo por meio de um amigo em comum, um ano antes. No dia da sessão de fotos, que aconteceu no apartamento dele, ele apareceu só de cueca e sempre dava um jeito de encostar e passar a mão na gente, nos constrangendo. Acabei me afastando um tempo depois, mas sempre via que ele se aproveitava dos mais vulneráveis”, contou outra suposta vítima, hoje com 23 anos.

REPERCUSSÃO

A Casa de Criadores usou o Twitter para se manifestar, afirmando que a marca não integra mais o calendário do evento desde 2018. “Até então, nunca havia nos chegado qualquer informação parecida com os depoimentos que vieram a público via Twitter e Instagram nos últimos dias. Se isso tivesse acontecido, teríamos imediatamente retirado a marca do line-up do evento”, afirmaram os organizadores.

Famosa pela representatividade em seus castings e campanhas, a marca já vestiu nomes como Linn da Quebrada e MC Soffia. Em sua conta no Twitter, MC Soffia afirmou que mantinha contato com Eduardo apenas profissionalmente. “Mesmo não fazendo mais parte do Brechó Replay, estou vendo tudo envolvendo a marca e estou bem triste com toda essa situação”, disse.

Após as polêmicas, ele deletou as contas (pessoal, na qual se intitulava Um Anjo Adolescente, e da marca) do Instagram. Procurado pela reportagem, Eduardo Costa afirmou que procuraria seu advogado para um posicionamento, o que não foi feito até então.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!