‘Corpos que Importam’ é lançado no Brasil

O livre precursor do não binarismo de gênero!

Depois de quase 30 anos de espera o livro ‘Corpos que Importam: os limites discursivos do ‘sexo’’ ganha versão em português. Originalmente lançado em 1993, pela filósofa norte-americana lésbica Judith Butler (64), ‘Corpos que Importam’ (Bodies that Matter) fala que o conceito de gênero e sexo foi construído por meio da materialidade dos corpos.

Butler é Doutora em Filosofia pela Universidade de Yale e atualmente é professora de Retórica em Literatura Comparada na Universidade da Califórnia. Foi uma das primeiras autoras a questionar o binarismo de gênero e de sexo, quando publicou o livro ‘Problemas de Gênero’ em 1991. Desde então ela vem se destacando mundialmente e seus livros vem mudando o pensamento acadêmico e cultural sobre a visibilidade da população LGBT+, principalmente da pessoas trans, travestis e não binárias.

Em ‘Corpos que Importam’, Judith diz que essa materialidade do corpo, pênis e vagina, é uma violência cometida contra os corpos. Quando alguém denomina que o feto é menino e menina, o médico ou a enfermeira definiu a vida daquele feto daí por diante por meio do que a cultura entende o que é masculino ou feminino, porém, a autora tenta academicamente desconstruir o conceito de sexo e gênero questionando justamente esta materialidade dos corpos.

‘Corpos que Importam’ também tem grande relevância fora do meio acadêmico, pois contribui enormemente para a defesa dos direitos humanos da população LGBT+, desconstruindo a ideia de que ser homem e mulher deva ser ‘deste ou daquele jeito’. O movimento LGBT+ não seria o mesmo sem os livros e publicações de Judith Butler.

A autora de sucesso já teve alguns livros publicados no Brasil como ‘Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade’ (Civilização Brasileira); O clamor de Antígona: parentesco entre a vida e a morte (Editora UFSC); Relatar a Si mesmo: crítica da violência ética (Autêntica); Corpos em Aliança: notas para uma teoria performativa de assembleia (Civilização Brasileira). Na sua última passagem pelo Brasil em 2017, ela e sua esposa sofreram agressão física e verbal no Aeroporto Internacional de Congonhas por evangélicos conservadores que não a queriam no país, chamando-a de bruxa e criadora da ideologia de gênero.

Corpos que Importam: os limites discursivos do ‘sexo’’ chega agora às mãos dos leitores brasileiros, através da editora ‘Crocodilo’ e da ‘N-1 Edições’, dando continuidade ao pensamento da autora sobre a questão da performatividade do sexo e gênero, conhecido nos estudos de gênero, sexualidade e estudos queers. Embora tenha sido lançado oficialmente no dia 08/12/19, o livro só estará disponível para venda a partir desta sexta-feira, dia 06/03, pela Amazon.com.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e redator colaborador de conteúdos sobre diversidade LGBTI+ do portal Pheeno.com.br! #MandaAssunto