Catar diz que vai “acolher” LGBTs na Copa, mas alerta sobre demonstrações públicas de afeto: “Devem ser evitadas”

O comitê organizador da Copa do Mundo de 2022, no Catar, voltou a afirmar que o país vai acolher o público LGBTQIA+, mas alertou que demonstrações públicas de carinho devem ser evitadas. Em recente entrevista à emissora “CNN“, Nasser Al Khater, líder do comitê organizador do evento, disse que “ninguém se sente inseguro” no país.

Thank you for reading this post, don't forget to subscribe!

Ele ainda afirmou que o australiano Joshua Cavallo, único jogador assumidamente gay entre as principais ligas de futebol, será bem-vindo na nação. As declarações de Al Khater foram uma resposta a Cavallo, que afirmou no mês passado que ficaria “com medo” de jogar no Catar, pois a homossexualidade no país pode ser punida com até três anos de detenção. “Joshua Cavallo seria bem-vindo no Catar, ninguém se sente ameaçado ou inseguro aqui. Nós somos um país acolhedor, tolerante e hospitaleiro, todos são bem-vindos aqui“, comentou Al Khater.

No entanto, o líder do comitê alertou sobre as demonstrações públicas de afeto. “O Catar e a sua região são mais conservadores, então as demonstrações públicas de afeto, que são desaprovadas, devem ser evitadas. É a única indicação a ser respeitada, tirando isso, cada um pode viver sua própria vida. Só pedimos aos torcedores que respeitem“, concluiu. A Copa do Mundo ocorrerá entre 21 de novembro e 18 de dezembro de 2022.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!