Polícia faz apreensão em casa de influencer carioca investigado por aplicar golpes em mais de mil pessoas

Suspeito de aplicar golpes na venda de bolsas e usar documentos de terceiros para abrir contas em bancos digitais, o influenciador carioca Bruno Maffei foi alvo de mandado de busca e apreensão em seu apartamento, em Ipanema, Zona Sul do Rio, nesta terça-feira (22/03). A ação foi feita por policiais civis da cidade de Cordeirópolis, em São Paulo, e do Rio de Janeiro. A polícia suspeita que tenham sido mais de mil vítimas.

Segundo a Polícia Civil, uma moradora de Cordeirópolis foi vítima de um golpe ao tentar comprar uma bolsa de grife em setembro do ano passado, em uma loja online no Instagram chamada “Me deu bode“. Ela chegou a pagar R$ 5 mil no acessório. O suposto vendedor chegou a encaminhar foto da bolsa, mas após pagamento via Pix ela foi bloqueada e nunca recebeu os produtos. A vítima não sabia se tratar de uma loja do influenciador Bruno Maffei. Os investigadores fizeram pesquisas e análises dos dados obtidos por meio de quebra no sigilo bancário da pessoa que recebeu o pagamento pela bolsa, além de interceptação telefônica. Segundo a Polícia Civil, Maffei era o titular das plataformas usadas para aplicar os golpes. 

Diante das investigações apontarem o Maffei como autor dos estelionatos, a Polícia Civil de Cordeirópolis e Limeira cumpriram mandados de busca e apreensão em endereços do suspeito, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ao G1, o delegado Leonardo Burger explicou que durante a operação, Maffei tentou jogar dois celulares pela janela do apartamento, mas foi contido pelos agentes, que conseguiram imobilizá-lo e pegar os aparelhos. Além de três celulares, foram encontradas duas bolsas provavelmente originais, com certificados. A suspeita é que elas seriam usadas para os anúncios na rede social e site da suposta loja.

Também foram apreendidos 13 chips de celulares que serão examinados. A principal suspeita dos policiais é que eles estão atrelados a ligações para bancos, onde o suspeito se identificava como terceiros. Foi encontrada, ainda, a quantia de R$ 2.500 em dinheiro, cinco Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs), um cartão bancário vinculado a uma conta digital aberta por um cadastro falso e documento original de outra pessoal. Ele responde em liberdade e pode ser indiciado nos próximos dias.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!