SP: grupo de travestis arrisca a própria vida para salvar gays de espancamento

14991969_1397334683640216_6753312047697780855_n

O jovem Vinícius Anselmo usou o seu perfil no Facebook para denunciar um caso de roubo e homofobia que ele e um amigo sofreram na última quinta-feira (03/11), enquanto voltavam de uma social no Largo do Arouche, em São Paulo.

“No caminho, um rapaz forte, alto, pegou minha mochila e correu, eu não sei como ele fez aquilo tão rápido, meu amigo se desesperou e começou a pedir ‘socorro’, à partir disso, não sei de onde surgiram mais dois rapazes tão altos quanto o primeiro e os três começaram a espancar meu amigo”, conta o Vinícius. Segundo ele, sua primeira reação foi de deitar por cima de seu amigo e protegê-lo contra os ataques.

“Eu levei muitos chutes e socos e xingamentos homofóbicos, estávamos os dois no chão, meu amigo sangrando e desmaiado, e eu sendo violentado pelos três homens”, ainda na publicação, ele alerta sobre a omissão de ajudadas pessoas que passavam pelo local, incluindo policias, que presenciaram as agressões e não fizeram nada.

Vinícius Anselmo usou o seu perfil no Facebook para denunciar um caso de roubo e homofobia.
Vinícius Anselmo usou o seu perfil no Facebook para denunciar um caso de roubo e homofobia.

“Apareceu uma viatura de polícia, e ali pensei que tudo teria terminado graças ao universo, mas para minha surpresa, os policiais desceram do carro, olharam a violência, entraram novamente na viatura e nos deixaram lá ainda apanhando”, lembra. Segundo ele, se não fosse por um grupo de travestis, ele e seu amigo teriam perdido a vida.

“Eram muitas [travestis] ao redor de nós, e elas num grande ato de amor … colocaram a vida delas em risco para salvar a minha e a de meu amigo. Elas expulsaram os caras de lá e deram sinal para um táxi. Não recordo direito, mas lembro delas falando entre elas: ‘Um já morreu, vamos tentar salvar o outro'”, conta Vinícius no depoimento emocionante.

Confira…

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!