Youtuber gay Guigo Kieras é espancado por policiais durante bloco em SP

O que era para ser um dia de alegria, terminou em tragédia para o youtuber Guigo Kieras no último sábado (09/03). Gay assumido, o publicitário conta que foi agredido por policiais militares durante a passagem do bloco Largadinho, da Claudia Leitte, na Avenida Marquês de São Vicente, na região central de São Paulo.

Quando uma forte chuva caiu e o público se dispersou rapidamente para se proteger da tempestade, o youtuber e um amigo resolveram se proteger na marquise de uma churrascaria, onde também havia um grupo de polícias militares. Eles foram informados que não podiam ficar ali e seguiram para debaixo de uma árvore. Os PMs disseram que os dois também não poderiam ficar ali e quando Guigo resolveu questionar, as agressões começaram.

“Nós fomos respondidos com cacetadas, eles saíram correndo atrás da gente. Meu amigo foi para um lado, eu fui para o meio da multidão, meu amigo caiu no chão mas conseguiu se safar da polícia depois de levar algumas porradas”, contou o rapaz em entrevista ao G1. “Acabei sendo pego, fui arrastado até uma rua afastada, onde estavam os carros da PM estacionados. Ali foram socos, pontapés, porrada na boca, mata-leão, foi uma sessão de tortura”, completou.

Kieras ainda contou que uma das últimas coisas que lembra é de ter implorado para não morrer. Uma reportagem do G1 que estava pelo local conseguiu um vídeo da agressão registrado por um cinegrafista anônimo que que estava próximo ao local no momento das agressões. As imagens mostram os policiais militares arrastando o jovem de 29 anos para perto das viaturas. Um deles dá um soco na boca de Guilherme, que continua sendo arrastado e agredido. Ele levou três pontos na boca e teve de esperar seis horas na delegacia para registrar o Boletim de Ocorrência. Ele fez exame de corpo delito. Os dois amigos estão cheios de marca de cassetetes pelo corpo.

Policiais foram afastados

Segundo o capitão Osmário Ferreira, porta-voz da PM, os policiais que aparecem no vídeo foram afastados. “Lamentamos o fato, assim que tivemos conhecimento do fato já instauramos de pronto um inquérito policial militar e os policiais permanecerão afastados até a sua conclusão”, disse Ferreira ao G1. “Dentro da missão da Polícia Militar, um dos principais pontos é proteger a vida, fazer cumprir a lei, também cumprir a lei e sempre combatendo o crime”, completou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!