Aplicativo Tik Tok é acusado de homofobia após censurar vídeo de beijo gay

A polêmica envolvendo o aplicativo Tik Tok continua dando o que falar nas redes sociais. Mark Pasetsky, um usuário do aplicativo, vem acusando a plataforma de homofobia após a mesma censurar um breve vídeo onde Mark aparecia dando um beijo em seu namorado à meia-noite do ano novo.

No final do ano passado, o TikTok foi criticado por censurar vários vídeos, incluindo aqueles com usuários obesos, deficientes e LGBTQ+. Segundo o aplicativo, a censura aconteceu para “prevenir o bullying” na plataforma. Na época, a empresa disse que “embora a intenção fosse boa, a abordagem estava realmente errada”. Agora, Mark se junta a essas vozes, acusando a rede social de preconceito. “Imagine o quão devastador é uma rede social afirmando que não é legal você ser quem você é?”, disse ele.

Indignado, e com razão, Mark recorreu ao suporte técnico do TikTok, que colocou o vídeo online novamente em duas horas. Apesar disso, o rapaz não acredita que a remoção do vídeo tenha sido um acidente, já que não é a primeira vez que o aplicativo é acusado de ser LGBTfóbico. “Se essa decisão foi baseada no erro humano, quem era o humano? Como o TikTok toma decisões de contratação para posições de moderação? A diversidade é representada nas suas equipes?”, questionou Mark.

“Não podemos permitir que uma plataforma de mídia social cometa micro-agressões discriminatórias contra qualquer comunidade. É fundamental que a empresa entenda sua responsabilidade de criar um ambiente seguro e acolhedor para todos”, finalizou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!