Funcionário público é agredido e diz que foi vítima de homofobia na Lapa

O funcionário público Guilherme Luz, de 33 anos, alega que foi vítima de homofobia, no início da madrugada de sábado (15/02), na Lapa, região central da cidade. Em entrevista ao Jornal O Dia, o servidor conta que estava lanchando em uma das barracas que ficam próximas dos Arcos da Lapa, quando um rapaz que estava em um grupo de pessoas começou insultá-lo com piadas homofóbicos.

“Eu estava com uma orelha de coelho e mexendo no celular, quando um deles começou a falar ‘viadinho’ para mim, mudando a voz. Os outros estava só rindo”, disse Guilherme para a publicação. “Ele me agarrou e começou a dar um monte de socos nas minhas costas, nos braços. Eu cheguei a dar uma apagada”, relembrou a vítima, que não sofreu ainda mais com as agressões pois uma mulher o ajudou no momento do ataque.

“Isso é muito triste e muito doloroso. A gente acaba não podendo fazer nada. Mas pelo menos depois que postei o que aconteceu, recebi muito apoio, com várias pessoas se sensibilizando”, conta. O funcionário público do Estado do Rio de Janeiro fez um registro das agressões na 5ª DP do Rio. A delegacia registrou a ocorrência como lesão corporal por homofobia. O servidor também foi ao IML de São Cristóvão fazer exame de corpo de delito.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!