Professor da UFMA acusa alunos de homofobia e tentativa de agressão no banheiro da instituição!

Glécio Machado Siqueira, de 36 anos de idade e professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), afirma ser vítima de homofobia praticada por três alunos do campus de ciências agrárias e ambientais, no município de Chapadinha, na região leste do estado Maranhão. O caso aconteceu no mês de outubro. O professor, recém-contratado da UFMA, relata que os insultos e agressões verbais vem acontecendo desde o início do ano letivo.

“Os estudantes envolvidos usaram palavras de baixo calão, inclusive ‘bicha’, além de terem dito que os títulos de mestre e doutor foram conquistados em troco de favores sexuais. É lamentável que um estudante não só use palavras de baixo calão, como também, perante os colegas de sala, desafiem minha competência. Não se trata de questionar ou não a metodologia de ensino, o que não se pode é, a pretexto de fazê-lo, achincalhar a formação profissional e a honra do professor”, explicou Glécio em entrevista ao portal “G1”. O professor, que dá aulas de física e biofísica para estudantes dos cursos de biologia, engenharia agrícola e zootecnia, afirmou que já sofreu uma tentativa de agressão no banheiro da instituição.

“Quando estava usando o banheiro, um dos estudantes, ao me ver, saiu aos chutes pelas paredes dizendo que o banheiro era de homens e que bichas deviam fazer suas necessidades no mato. Quando comuniquei tal fato à coordenação do curso, me foi sugerido tirar uma cópia da chave do sanitário das professoras”, relata Glécio. O professor procurou um advogado, registrou boletim de ocorrência e já comunicou o caso à UFMA. “Foi ajuizada ação por danos morais contra um dos estudantes, por meio de advogado particular, e uma queixa-crime, por injúria e difamação, contra os três estudantes envolvidos, patrocinada pela nossa Comissão da Diversidade Sexual – OAB/MA.”, disse o advogado Thiago Viana, que é presidente da “Comissão da Diversidade Sexual” da OAB/MA.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!