Sem apoio da Prefeitura, 22ª Parada LGBT do Rio reúne 800 mil pessoas em Copacabana

Apesar de diversos empecilhos por parte da Prefeitura do Rio, adotados pelo Prefeito Marcelo Crivella, aconteceu neste domingo a 22ª Parada LGBT do Rio de Janeiro. Mais de 800 mil pessoas marcaram presença no evento, que pela primeira vez em 15 anos não teve apoio financeiro da prefeitura.

Desde o começo da manhã, seis trios elétricos já estavam estacionados na Avenida Atlântica, próximo ao Forte, para dar início à festa, que começou às 16h e terminou por volta das 19h40. Ao meio-dia, já era intensa a movimentação do público à espera do evento. Iza, Valesca Popozuda, Daniela Mercury, Preta Gil e Pabllo Vittar foram algumas das principais atrações que agitaram a orla de Copacabana.

Organizada pelo Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTI, a Parada Gay do Rio é uma das maiores do país. Neste ano, além de defender diversidade sexual e a liberdade de gênero, o evento abraçou também a luta política. “O movimento LGBT vem sofrendo uma pressão com um governo fundamentalista na cidade do Rio de Janeiro, que atua para enfraquecer o que foi conquistado de direitos até agora”, declararam os organizadores, que nomearam o evento deste ano como “Parada da Resistência”.

Confira alguns cliques

❤️🌈 Photo: @rodolfomagalhaes

Uma publicação compartilhada por Aretuza Lovi (@aretuzalovi) em

#ParadaDaResistência #PheenoNaParada 🌈🏳️‍🌈

Uma publicação compartilhada por Felipe Sousa (@filiepi) em

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!