“Boca é para comer”, diz presidente africano para proibir sexo oral

O presidente de Uganda prepara-se para tomar mais uma polêmica decisão. Yoweri Museveni, conhecido pelo seu posicionamento homofóbico, estuda proibir a prática de sexo oral no país.

“Deixem-me aproveitar esta oportunidade para lançar um aviso público sobre as práticas erradas em que algumas pessoas participam e que são promovidas por alguns estrangeiros”, anunciou Museveni em discurso. “Uma delas é o que chamam sexo oral. A boca é para comer, não é para fazer sexo. Nós sabemos qual é a ‘morada’ do sexo, sabemos onde é que deve ir”, continuou.

Em 2014, Museveni aprovou uma lei que punia quem praticasse sexo homossexual com prisão perpétua. Apesar da homossexualidade ainda ser considerada crime no país, o Tribunal Constitucional da Unganda anulou a lei em agosto do mesmo ano após pressão internacional.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!