RJ: ativista LGBT que estava desaparecida é encontrada morta

Foi confirmada na noite deste domingo (06/05) que a estudante de Artes Visuais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Matheus Passareli, foi assassinada. Conhecida pelos amigos como Matheusa, a estudante era ativista LGBT e se identificava como não binária, isto é, não se considerava nem home e nem mulher.

Quem divulgou a informação foi a irmã de Matheusa, Gabe Passareli. Pelo seu perfil no Facebook, Gabe informou que a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) da Polícia Civil constatou que Matheusa foi executada em uma favela da zona norte do Rio e teve seu corpo incendiado.

“Sobre seu corpo, também segundo informações colhidas pela DDPA, ele foi queimado e poucas são as possibilidades de encontrarmos alguma materialidade, além das milhares que a Matheusa deixou em vida e que muito servirão para que possamos ressignificar a realidade brutal que estamos vivendo”, escreveu.

Matheusa desapareceu na madrugada do domingo retrasado (29/04) depois de uma festa no bairro do Encantado. A Polícia Civil agora investiga a autoria do crime.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!