Acusados de espancar gêmeos após confundir vítimas com casal gay são condenados

Os três homens acusados de espancar dois irmãos gêmeos após confundir as vítimas com um casal gay, na Bahia, foram condenados pelo crime, nesta semana. O julgamento ocorreu sete anos após o ataque que deixou um dos irmãos morto.

O crime ocorreu no dia 24 de junho de 2012, na cidade de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. Segundo o Tribunal de Justiça (TJ-BA), Adan Jorge Araújo Benevides, Adriano Santos Lopes da Silva e Douglas dos Santos agrediram os irmãos no momento em que as vítimas saíam de uma festa junina abraçados. José Leonardo da Silva não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. Ele era casado e deixou a esposa grávida de quatro meses. Já José Leandro da Silva sobreviveu. Ambos tinham 22 anos na época do ataque. Além de perder o irmão, Leandro teve o maxilar quebrado em três lugares, quase teve o olho esquerdo perfurado e passou por um procedimento cirúrgico para reconstrução parcial bucomaxilar.

Os irmãos foram para Camaçari, onde uma das irmãs vivia, em busca de oportunidade de trabalho. Eles trabalhavam juntos em uma fábrica de telhas do município. O julgamento dos acusados do crime aconteceu no Fórum de Camaçari, na quinta-feira (27/06). De acordo com o TJ, Adan Jorge de Araújo foi condenado a 26 anos e 3 meses de prisão em regime fechado, Douglas dos Santos Estrela a 14 anos e Adriano Santos Lopes da Silva a 9 anos e 3 meses.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!