Mãe processa filha transexual por iniciar transição sem seu consentimento

Uma mãe norte americana do estado de Minnesota, nos EUA, abriu um processo legal contra sua filha, que é transexual, por ter iniciado um tratamento de transição sem o seu consentimento. O caso agora está sendo analisado e será julgado pela Suprema Corte do país.

No processo, que se arrasta há quase três anos, Annmarie Calgaro se refere à sua filha de 18 anos sempre com pronomes masculinos. Ela insiste que o processo não busca recuperar a jovem, que não pode ser nomeada na matéria por razões legais, mas busca propor uma reflexão sobre uma lei do estado do Minnesota que permite a menores de idade buscarem tratamentos médicos sem o consentimento dos pais.

“Chegou ao meu conhecimento que meu filho (sic) iniciou um tratamento no Park Nicollet Health Services para fazer a transição de homem para mulher, pago pelo serviço de assistência médica. Eu não fui consultada e nem informada em nenhum momento”, disse Anmarie. Ela também declarou que não tem nenhum desejo de manter contato com a filha, que desde janeiro já possui documentos com seu gênero corrigido.

Mesmo alegando “amor incondicional” a sua filha, a jovem conta que viveu em um ambiente turbulento e instável devido a sua orientação sexual e identidade de gênero, tanto que precisou sair de casa aos 13 anos. A Suprema Corte agora deve tomar uma decisão decisiva e histórica quanto ao caso, que deve servir também como referência sobre os limites legais dos pais em relação aos filhos e suas próprias questões individuais, como orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!