Coreógrafo com 116 cm de bumbum deixa Porto da Pedra por ser gay e “aparecer demais”: “Mereço respeito”

Coréografo da Porto da Pedra, Fábio Alves, um dos destaques do carnaval carioca, anunciou o seu desligamento da escola de samba. Segundo Fábio, que estava na agremiação desde 2015, ele vem sofrendo perseguição de diretores da agremiação por ser gay e por “aparecer demais“.

Diminuiam meu trabalho dizendo que eu não era bom para ir aonde eu ia. Também não deixavam o carnavalesco fazer as minhas fantasias com antecedência. Só faltando 15 dias para o carnaval“, revelou ao jornal Extra. Em todos os anos que desfilou, Fábio se destacava na mídia por causa de seu bumbum que mede 116 centímetros. De acordo com ele, que também é enfermeiro, seu destaque na imprensa causava críticas. “Fizeram uma reunião comigo e falaram que não gostaram das matérias. Chegaram a dizer chegou a dizer que eu era uma chacota do carnaval. Era um terror psicológico muito grande. A comunidade me ama e isso me mantinha na escola“, relata.

Estou a procura de uma escola que me respeite e não tenha preconceito quanto a sexo e gênero de ninguém. Eu fui um dos maiores destaques do Brasil por anos, sendo eleito melhor coreógrafo de ala e melhor destaque, inclusive, no último carnaval. Merecia ser mais respeitado. Coisa que não aconteceu“, lamentou o coréografo, que chegou a compartilhar no Instagram uma carta de despedida da escola de samba. “Muito obrigado a comunidade da Porto da Pedra, a Primeira Dama, as minhas ajudantes e amigas Karla e Elisangela, ao presidente Fábio Montebelo e a Deus por ter me proporcionado tantos momentos lindos! Um até breve a todos da Porto da Pedra porque só Deus sabe o dia do amanhã“, escreveu ele.

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!