Grupo brasileiro Cansei de Ser Sexy celebra protagonismo gay na música: “O ambiente melhorou”

Conhecidas por sua irreverência e estilo único, as integrantes do icônico grupo brasileiro Cansei de Ser Sexy (CSS) têm se posicionado como defensoras da diversidade e da representação LGBTQIAPN+ desde o início da banda, em 2003. Em turnê para celebrar os 20 anos história, após uma década de ausência, a vocalista Luísa Matsushita, também conhecida como Lovefoxxx, e a guitarrista e tecladista Ana Rezende, discutiram as mudanças no cenário musical e como ele tem se tornado mais acolhedor para LGBTs.

O ambiente é muito melhor para as mulheres agora e para as pessoas LGBTQI+, o que é ótimo. Fico muito feliz em ver todos os caras com batom e todo mundo dando uma de louco e esquisito. Eu amo todos os esquisitos por aí“, disse Lovefoxxx em recente entrevista ao The Independent. “Somos uma banda 100% queer e somos todas mulheres. Quando estávamos em turnê, éramos apenas nós. Hoje em dia você vê boygenius e Billie Eilish… há tantas coisas gays lá e mulheres fazendo coisas gays. Um protagonismo gay. Isso me faz sentir orgulho de ser humana neste momento“, complementou Ana.

Na sequência, Lovefoxxx comemora o fato da banda servir de inspiração para diversos LGBTs que buscam aceitação. “Inspiramos tantas pessoas queer em todo o mundo. Eu sei disso porque elas falam comigo, choramos juntas e nos contam como as ajudamos a se reconhecerem. Mas estamos nos ombros de L7, de Bikini Kill, Le Tigre, Bratmobile, Elastica. Tantas grandes mulheres e artistas queer abriram o caminho para nós [mas] estou muito orgulhosa de fazer parte disso“, celebrou ela.

Felipe Sousa

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Você vai curtir!