Emboscada! Jornalista hétero usa Grindr para expôr atletas gays nas Olimpíadas

Print da matéria original
Print da matéria original

Um jornalista do site “The Dayle Beast”, decidiu investigar a vida privada dos atletas olímpicos durante os Jogos do Rio e descobriu que alguns deles ainda estavam dentro do armário. Com o título de “Eu consegui três encontros no Grindr em uma hora na Vila Olímpica”, Nico Hine, que é hétero, revelou com detalhes o que aconteceu quando ele abriu o aplicativo de paquera Grindr no local.

No texto, ele descreve as respostas que recebeu e, embora não revelasse nomes, o jornal americano “The New York Times” disse que não era difícil adivinhar quem eles eram. O artigo trazia, ainda, informações que poderiam identificar com quem Hines conversou, o que poderia causar potenciais problemas para os atletas – muitos deles menores de idade e residentes em países onde é crime ser gay.

Nico Hines, "jornalista" responsável pela matéria
Nico Hines, “jornalista” responsável pela matéria

O nadador Amini Fonua, de Tonga, país onde os LGBTs são violentamente criminalizados, usou seu perfil no Twitter para condenar a atitude de Hines ao expor a vida privada dos atletas. “Algumas dessas pessoas que você tirou do armário são meus AMIGOS. Com família e vidas que serão afetadas para sempre“, disparou Amini, que publicamente se declara homossexual.

O nadador Amini Fonua usou as redes sociais para criticar o artigo
O nadador Amini Fonua usou as redes sociais para criticar o artigo

Imagine um espaço onde você pode ser você mesmo, se sentir seguro, sendo arruinado por alguém que acha que tudo é brincadeira?“, escreveu o nadador em outro post. “Nenhum heterossexual saberá alcançar a dor de revelar a sua verdade. Não tenho nem palavras, só consigo chorar“, complementou

Vergonha deste lixo desumano que achou que seria divertido colocar em risco a vida dos atletas desta vila“, detonou Amini. Já no Instagram, o nadador resolveu publicar uma foto em resposta a Hines, exibindo seu bumbum: “Ei, Nico Hines e Daily Beast – se vocês estavam procurando no Grindr por fogo no rabo (e não vejo outro motivo para vocês estarem lá), vocês têm o meu aqui em toda sua glória. Agora, beijem-na e vão se f**er“.

Diante de tamanha repercussão, o “Daily Beast” fez diversas edições na tentativa de preservar os atletas. Mas na noite de quinta-feira decidiu remover o artigo. “Nossa esperança é que a remoção de um artigo que está em conflito com os nossos valores e com aquilo que aspiramos como jornalistas irá demonstrar o quão sério levamos o nosso erro. Estávamos errados. Vamos fazer melhor”, disse uma nota assinada pelos editores. O autor da reportagem não quis comentar o assunto.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!