#TerçaQueen: As 10 melhores montações de Duda Dello Russo (+ entrevista)

DudaCapa

Não tem palavra melhor para definir os looks da Duda Dello Russo do que: mind-blowing! Inspirada em ícones da moda, filmes e desenhos animados, a drag queen paulistana surpreende a cada vez que se monta, e não é a toa que conquistou uma vaga no webreality Academia de Drags 2, além de uma agenda badalada de eventos como DJ e apresentadora. Com apenas dois anos dando vida a Duda, seu idealizador Eduardo, de 20 aninhos, faz questão de reafirmar sua personalidade, que curte funk, ama catuaba, tem orgulho de morar na periferia e é afeminado SIM.

Topamos o desafio de selecionar nossas dez montações preferidas de Duda Dello Russo e ficamos com o coração na mão de não conseguir incluir alguns dos looks incríveis que vimos. De quebra, conversamos um pouquinho com ela, que falou sobre suas inspirações, a infância traumática, a cena drag de São Paulo e mais! Confira a entrevista e, logo abaixo, a nossa seleção:

12670870_1698316237121898_8442333222960010252_nPheeno: Ser drag é um ato político?

Duda Dello Russo: Primeiro; muito obrigada pelos elogios! E ser drag é um ato politico sim, mesmo você não sendo politizado. Só de um homem-mulher colocar peruca e provocar esse estranhamento na sociedade é uma ocupação de arte, gênero e comportamento. O caminho que você faz até a balada é um ato politico. A bunda que você rebola até o chão também.

Pheeno: Conta pra gente: quais as suas principais referências?

Duda Dello Russo: Minhas principais referências são: Bjork, Anna Dello Russo e Elke Maravilha (que descanse/divirta em paz). Mas também tenho grandes nomes que me influenciaram quando comecei a conhecer a noite de são Paulo: Alisson Gothz, Zeze Araujo e Elloanigena.

Pheeno: E o seu nome, tem alguma inspiração?

Duda Dello Russo: Vem de Anna Dello Russo, um dos maiores ícones de moda pra mim. Eu sou apaixonado em ver gente extremamente montada e de paetê ao meio dia. Nossa, os vídeos dela chegando na porta da sala de desfile são fantásticos; aquele monte de fotografo, ela andando com uma roupa absurda e num salto bem altão. Rainha.

Pheeno: Em uma entrevista, você conta que foi abusado sexualmente quando criança. A Duda te ajudou a lidar com esse trauma?

Duda Dello Russo: Sim! Eu comecei a Duda numa fase da vida em que eu estava mais ligado a moda. Mas aí fui perdendo isso pra abrir meu leque artístico e explorar outras partes minha. A mais forte que encontrei foi mexer com a minha infância (mal resolvida), e procurei focar em desenhos e filmes marcantes pra mim. Durante muito tempo eu tentei descartar da minha mente tudo relacionado a minha infância, e de algum jeito eu precisava recordar isso. Aí resolvi juntar cosplay e drag fazendo personagens que foram icônicos quando criança. E, de alguma forma, quando estou essas roupas elas parecem mexer com meu emocional e me ajudam a cicatrizar o que passei.

Pheeno: Foi difícil pra gente escolher apenas dez montações que nós amamos. Você já conseguiu eleger uma preferida?

Duda Dello Russo: Sim! Angewomon é minha montação preferida, apesar de eu não gostar do acabamento dela e saber que eu poderia ter feito melhor. Digimon é meu anime preferido, e na época que eu assistia eu lembro muito bem de rezar pra Angewomon acabar com tudo que eu tivesse passando porque ela era um anjo. Acreditava muito numa força além do desenho-super poderes. Eu queria muito que ela viesse me salvar.

Pheeno: A gente sabe que drag queens demoram um bocado para se arrumarem. Quanto tempo você costuma demorar para montar um cosplay?! E qual montação deu mais trabalho?

Duda Dello Russo: Nossa. Eu posso de demorar 3 horas a até um mês. Depende de como eu me planejo! Atualmente não tenho mais feito essas coisas as pressas porque sei que depois de duas semanas vou olhar e pensar “porra, eu podia ter caprichado mais.” Então tenho preferido demorar duas, três semanas pra montar algo e me sentir satisfeito. A que deu mais trabalho foi da Angewomon; por causa das asas, todos acessórios e etc…

Pheeno: Já aconteceu de você, após horas de preparação para cosplay de algum personagem, não gostou do resultado e teve que recomeçar do zero?

Duda Dello Russo: Várias vezes. Mesmo! E muitos eu só não gosto depois de já pronto e me arrependo amargamente de ter feito. Os maiores exemplos pra mim são: o C3P-O, Sakura Card Captors e Etevaldo. São três personagens que amo mas fiz porcamente e pretendo refazê-los. Estou em outro momento e com mais experiência pra poder polir.

Pheeno: Você participou do Academia de Drags 2. Conta pra gente o que essa experiência significou para sua carreira.

Duda Dello Russo: Abriu muitas portas em relação a fãs e reconhecimento do meu trabalho, não posso negar. Depois de assistir também revi muitos conceitos meus, muitas atitudes que tive no programa e me arrependi. Quando sai do programa, eu precisei me provar que eu era muito melhor do que aquilo que eu estava assistindo e sentindo vergonha. O pós-programa foi quando comecei a me polir.

Pheeno: Você tem alguma drag internacional preferida? E nacional?

Duda Dello Russo: Internacional sou apaixonado na Milk por todo o estilo club kid com humor, e na Phi Phi O’ Hara que é tudo que eu queria ser. Nacional sou apaixonado no Ikaro Kadoshi, Alisson Gothz e Labelle Beauty.

Pheeno: São Paulo tem um cenário drag muito forte, mas há quem diga que são muito desunidas. É verdade isso?

Duda Dello Russo: Não! Eu juro que eu não seria 20% do que sou hoje se não fossem minhas amigas. É claro que existem grupinhos, mas é porque vocês se identificam mais. Eu e minhas amigas (a-mi-gas mesmo) somos bem unidas; daquelas que discutem qual cachê pedir, opnião de qualquer look pra fazer antes, me forçam a refazer a maquiagem se tiver ruim… Nós temos estilos bem diferentes, então nunca vimos como competição.

Pheeno: Sua agenda bomba como DJ e apresentadora. Você não é fã de performar? Que cidade sonha em tocar?

Duda Dello Russo: Eu gosto de performar só se for música nacional ou algo bem alternativo e, infelizmente, os lugares aqui não tem muito esse espaço. É sempre popzão de performance, e eu não me encaixo rs. Ah, eu sonho tocar em tanto lugar! Mas queria muito voltar pra Recife e conhecer Natal.

Pheeno: Qual o momento mais marcante da sua carreira?

Duda Dello Russo: Quando minha mãe foi em uma edição da Priscilla que eu toquei! Foi a primeira vez que ela me viu pessoalmente montado, ela ficou encantada. Minha mãe é evangélica, da congregação (um das mais rígidas, sabe?); ela ter me aceitado e me acolhido a cima de tudo é a maior prova de amor que eu poderia receber.

Pheeno: Você conquistou muita coisa em pouco tempo. O que você tem a dizer para quem está começando a se montar?

Duda Dello Russo: Se divirta acima de tudo! Eu comecei me montar por diversão mesmo, pra dar close na buatchy – e tem nada de errado nisso! É muito bom, aliás. Não espere de um dia pro outro ter agenda, ser contratada ou levar isso como profissão. É algo que simplesmente acontece (e torça pra não acontecer com você rs).
Mas é bom demais, viu? Atualmente eu vivo 100% da renda drag. Eu estou produzindo o Anexo B e têm sido meu maior desafio passar de drag para produtora de uma das maiores baladas da Augusta. Porém, é mais um desafio que a Duda está me proporcionando e que está sendo delicioso.

Confira nossos dez looks preferidos de Duda Dello Russo…

10º lugar: Grinch

Grinch

9º lugar: Vegeta

Vegeta2

8º lugar: Mc Donalds

McDonalds

7º lugar: Princesa Leia

Star Wars

6º lugar: Sia

Sia

5º lugar: Dark Magician Girl

Dark Magician Girl

4º lugar: Jynx

Jynx

3º lugar: Angewomon

Angeomon

2º lugar: Cabeça Invertida

AAAAA2

1º lugar: Voldemort

Voldemort

O Pheeno.com.br é um portal de notícias, estilo de vida e entretenimento LGBT do Rio de Janeiro, antenado também em tudo que acontece de importante para o segmento no Brasil e no mundo!