Travestis são espancadas por moradores de rua em banheiro de metrô de SP

estacao-santana

Anda frequente o número de agressões contra travestis na Zona Norte de São Paulo! Um dos motivos principais é uso do banheiro masculino da estação Santana do metrô. Segundo reportagem do jornal “Estado de S. Paulo”, moradores não estão gostando de ver é uma suposta prostituição no local.

As agressões são confirmadas pelos próprios moradores de rua. “É a maior safadeza. É lógico que a gente tem de se envolver, senão vira bagunça”, diz M.S., de 24 anos, que vive na Cruzeiro do Sul. “Os meninos descem lá para espancar os gays, porque não gostam do que veem”, conta uma outra moradora. Segundo um dos funcionários do metrô, a prostituição começa assim que a estação abre as portas.

As travestis ficam no box, esperando. A gente não pode falar nada, porque é ameaçado”, diz. Segundo ele, é comum recolher vestígios de crack e cocaína no banheiro. De acordo com a vendedora Marigleide Soares, que trabalha no local, é constante o número de assaltos dentro do toalete.

Em nota, o Metrô nega problemas de segurança. Segundo a companhia, os sanitários contam com funcionários da limpeza o tempo inteiro. A nota também diz que em “qualquer anormalidade” os agentes de segurança são acionados para, “prontamente”, adotarem as providências. Nenhuma travesti foi ouvida pela reportagem.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!