Rio: Colégio Pedro II extingue distinção de uniforme escolar por gênero

Em 2014, alunos protestaram em defesa de colega trans e foram de saia.
Em 2014, alunos protestaram em defesa de colega trans e foram de saia.

O Colégio Pedro II decidiu abolir a distinção do uniforme escolar por gênero. De acordo com a norma, divulgada nesta segunda-feira, não há mais a especificação sobre o que é uniforme feminino e masculino. Em 2014, estudantes fizeram um “saiato”, depois que uma aluna transexual vestiu a saia de uma colega e teve de trocar o uniforme.

“Procuramos de alguma maneira contribuir para que não haja sofrimento desnecessário entre aqueles que se colocam com uma identidade de gênero diferente daquela que a sociedade determina. A tradição não importa em anacronia, mas pode e deve significar nossa capacidade de evoluir e de inovar”, afirmou, em nota, o reitor Oscar Halac. “A escola pública precisa sinalizar que é hora de parar de odiar por odiar.”

Segundo o Pedro II, a resolução também estabelece a permissão do uso do uniforme de Educação Física em qualquer aula durante o verão. De acordo com o reitor, não chegou à direção qualquer reação negativa de pais de alunos.

Vale lembrar que a intituíção foi a primeira escola da rede pública no Rio de Janeiro a comunicar o cumprimento do decreto da ex-presidente Dilma Rousseff, que permite o uso do nome social por travestis e transexuais em órgãos e entidades da administração pública federal.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!