SP: Mãe é presa após matar filho gay a facadas e queimar o corpo

1701243

A mãe e o padastro de um jovem de 17 anos foram presos na tarde desta quarta-feira (11/01) suspeitos de matá-lo a facadas e queimar o corpo em Cravinhos, interior de São Paulo. Segundo a Polícia Civil, Tatiana Lozano Pereira afirmou em depoimento que o filho estava envolvido com drogas e teria ameaçado a filha, o que motivou o crime.

A polícia, que ainda investiga o caso, quer esclarecer os motivos do crime e se sua morte foi premeditada. A mãe disse que matou o filho na madrugada do dia 29 de dezembro, na casa da família, após iniciar uma discussão com Itaberli Lozano. Durante a briga, Tatiana teria pego uma faca e golpeado o filho no pescoço, que morreu ainda no local. O tratorista Alex Canteli Pereira, padrasto do jovem, teria sido a ajuda na ocultação do corpo, que foi levado de carro até a zona rural da cidade, próximo à Rodovia José Fregonesi, e incendiado.

vitima

Dias depois de Itaberli ter sido morto, uma avó do rapaz registrou um boletim de ocorrência e avisou as autoridades que o jovem estava desaparecido desde o fim de ano de 2016. Policiais Militares localizaram os restos mortais da vítima em uma área próxima da Fazenda das Flores, em Cravinhos. Junto ao corpo, os agentes encontraram uma pulseira que era utilizada por Itaberli e começaram a desconfiar que o corpo era do adolescente que havia sido dado como desaparecido pela avó.

Tanto Tatiana quanto Alex foram indiciados pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima, além de ocultação de cadáver. Tatiana foi levada para a Cadeia Feminina de Cajuru (SP), enquanto Alex foi encaminhado para a Cadeia de Santa Rosa de Viterbo.

Familiares suspeitam de homofobia…

O tio paterno de Itaberli acredita que a motivação do crime foi por homofobia. Segundo ele, a mãe não aceitava a sexualidade do filho. “A mãe dele não aceitava e a gente já desconfiava, porque ela não quis prestar queixa. Acho que a mãe tem que cuidar do filho e não fazer o que ela fez. Ele era um rapaz que trabalhava, era educado, era um menino, mas estava na fase de trabalhador”, disse Dario Rosa.

Ainda segundo o tio, o jovem decidiu ir embora de casa devido as fortes discussões que tinha com a mãe. Rosa afirma que o adolescente ficou na casa da avó até a noite de 29 de dezembro, quando voltou para casa após receber uma ligação da mãe no celular. A partir daí, Lozano não foi mais visto pelos familiares.

“Chegou um carro em casa, ele entrou e saíram. Depois disso, minha mãe foi até a casa dele e perguntou. A mãe [Tatiana] disse que não sabia e falou que ele poderia estar morando na casa de algum amigo, tentando desviar a investigação”, contou.

Tatiana Lozano Pereira e seu atual companheira, Alex Canteli Pereira, padrasto do jovem.
Tatiana Lozano Pereira e seu atual companheira, Alex Canteli Pereira, padrasto do jovem.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!