Karol Eller, lésbica apoiadora de Bolsonaro, sofre ataque homofóbico

A youtuber Karol Eller, conhecida por ser defensora do governo Bolsonaro, foi alvo de um ataque homofóbico que deixou seu rosto desfigurado. Segundo o colunista Leo Dias, do Jornal de Brasília, a agressão ocorreu no último domingo (15/12), em um quiosque na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Karol estava um quiosque na Barra da Tijuca, junto com a namorada, quando foi abordada por um homem, que de forma violenta questionou: “Como é que você consegue namorar um mulherão desses, hein?”. A provocação virou agressão rapidamente. A youtuber foi atacada por socos e pontapés, e foi socorrida pela namorada quando já estava desacordada.

Na manhã desta terça-feira (17/12), Karol se pronunciou pelo Instagram, e pediu para que seus fãs e seguidores se lembrassem do rosto saudável que ela tinha. “Gostaria que vocês lembrassem de mim com esse rosto! Deus tá no comando de tudo. Agora estou sem condições de falar ou fazer vídeos explicando! Mas quando eu estiver bem eu volto pra falar com vocês! Obrigada a todos pelo suporte. Orem por mim”, escreveu.

Ataque ao movimento LGBT

Karol Eller tem 79 mil seguidores no YouTube e 239 mil no Instagram. Somadas, as duas redes totalizam 6.022 publicações. Nas fotos, nos vídeos e nos textos, a youtuber aparece posando com o presidente Jair Bolsonaro, seu filho Eduardo, além dos ministros Sergio Moro, Paulo Guedes e Damares Alves.

Karol Eller tem um histórico de ataques ao movimento LGBT. A comunidade geralmente se posiciona contra as medidas autoritárias e conservadores do presidente Jair Bolsonaro, e contra as falas homofóbicas e preconceituosas dele. Karol Eller não concorda.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!