Acusado de matar gay queimado vivo conta que pisou no pescoço da vítima “até ouvir estalo”

Em depoimento prestado aos investigadores da 29ª Delegacia de Polícia de Riacho Fundo (DF), o jovem de 19 anos acusado de assassinar Jeferson Marques Ferreira (foto acima), de 28 anos, confessou ter cometido o crime após a vítima ter “flertado” com ele. O crime aconteceu em dezembro do ano passado, no entanto, o culpado só foi preso nesta segunda (29/02).

De acordo com a delegada Adriana Romana, o jovem “se enfureceu” quando Jefferson demonstrou interesse nele. O assassino foi até a casa da vítima, que lhe ofereceu ainda R$ 200 e um relógio pelo encontro. “Ele afirma que, naquele momento, deu um mata-leão na vítima até ela desmaiar. Quando recobrou os sentidos, o autor voltou a agredi-lo. O suspeito nos disse que pisou no pescoço do Jeferson até escutar um estalo e pensou tê-lo matado naquela hora”, explicou.

Segundo os investigadores, com a vítima desmaiada, o acusado se dirigiu até um posto de gasolina e pegou um galão emprestado com um motorista de aplicativo, argumentando que iria abastecer o carro da namorada. No entanto, voltou para o local do crime para atear fogo em Jeferson. Segundo a investigação da polícia, a vítima ainda estava viva quando foi queimado pelo assassino.

O preso vai responder por homicídio triplamente qualificado, em razão de motivo fútil, uso de fogo, sem chance de defesa do ofendido, seguido por furto qualificado (abuso de confiança).

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!