Roteirista da Netflix e ativista trans, Camila María Concepción morre aos 28 anos

Camila María Concepción, ativista transexual e roteirista de séries da Netflix, morreu precocemente aos 28 anos. A morte, tratada como suicídio, aconteceu no dia 21 de fevereiro, mas foi anunciada pela imprensa internacional nesta quarta-feira (26/02).

“Estamos profundamente tristes por saber da morte trágica de Camila Concepción”, lamentou a Netflix. “Camila era uma talentosa escritora apaixonada por contar histórias, por dar voz às minorias e lutar pela representação em frente e por trás das câmeras. Ela fez ousadas e críticas contribuições para nossa indústria, mais recentemente através de seus textos em ‘Gentefied’. Seu legado se manterá vivo através de seu trabalho. Nossos pensamentos estão com sua família e amigos neste momento de perda”.

O mais recente trabalho de Camila é “Gentefied“, série da Netflix que estreou há menos de uma semana. Ela também participou do roteiro da já cancelada “Daybreak” e também como assistente da aclamada Jill Soloway em várias produções. Os produtores das séries nas quais a roteirista trabalhava também divulgaram um comunicado lamentando a morte de Camila: “Ela fez contribuições ousadas e essenciais à nossa indústria e seu legado continuará por meio de seu trabalho. Nossos pensamentos estão com a família e os amigos”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!