Queernejo cresce no Brasil e o Mapa dos Festivais indica o primeiro festival da cena: Fivela Fest

Muito se engana quem acha que a comunidade LGBTQIA+ não curte sertanejo, pelo contrário, curtem tanto que a chamada cena Queernejo tem crescido cada vez mais entre os também amantes de ritmos como brega funk e da música pop. Com isso em mente, a mentora do projeto Mapa dos Festivais, Juli Baldi, buscou os idealizadores do Fivela Fest, os artistas Gali Galó e Gabeu, para anunciarem juntxs a data da estreia do primeiro festival sertanejo LGBTQIA+: dia 19 de junho no Audio, em São Paulo.

Na página do Fivela Fest dentro do Mapa dos Festivais, já estão disponíveis informações de como chegar no local do evento e onde se hospedar próximo ao festival. A página também oferece uma lista de espera, onde é possível se cadastrar para receber informações a medida que são divulgadas. “O Mapa dos Festivais pretende, além de oferecer informações úteis sobre os eventos, servir como um espaço para documentar novos artistas e cenas e instigar o público a conhecer o próprio país através dos festivais. Acreditamos que festivais levam muito mais do que entretenimento, levam desenvolvimento para a região onde acontecem e são a plataforma chave para conectar os artistas com o público”, afirma Juli.

ATRAÇÕES CONFIRMADAS

Além disso, também divulgam as primeiras atrações do line up, dois feats pra lá de especiais: Gabeu convida Romero Ferro e Gali Galó convida Aíla. Nascido no interior de São Paulo, na cidade de Franca, Gabeu descreve seu estilo musical como “a mistura do pop com minhas raízes”. Com dois singles lançados, incluindo o hit “Amor Rural”, o jovem artista usa o termo Pocnejo para se identificar e prepara o lançamento do primeiro álbum sertanejo queer para 2020, valorizando as narrativas cujo a figura heteronormativa seja questionada. “Você pode encontrar na minha playlist desde de Lady Gaga até Milionário & José Rico”, diz o cantor sobre suas referências.

Gali Galó ecoa melodias aprendidas na infância em Ribeirão Preto, sua cidade natal no interior paulista. Sob influência da música caipira e rodas de viola, a vida adulta em São Paulo lhe apresentou a comunidade LGBTQIA+. Com uma voz grave, GALI assume um timbre que lembra Zé Ramalho e, em seu drama, mergulha num personagem tragicômico que flerta com a música brega de Sidney Magal e Reginaldo Rossi. Em seu primeiro single, Fluxo assume sua identidade não binária e convida a paraense lésbica Aíla (Lesbigay) para essa parceria e também para dividir com ela e o palco da estreia do Fivela.

A programação do festival busca abranger de forma bem ampla os diferentes conceitos do Queernejo. Gabeu e Gali, dois dos artistas e também idealizadores do evento, apresentam um line-up ritmicamente diverso com diferentes representantes da comunidade LGBTQ+, possibilitando dessa forma, a apresentação de pontos de vista e vivências variados.

s ingressos estarão disponíveis a partir de R$25 pelo Ticket360. “O Fivela Fest chegou para mostrar que existe, sim, o Queernejo e que LGBTQs estão inseridos também em contextos interioranos e rurais, onde a música sertaneja e as tradições da cultura caipira são extremamente enraizadas”, diz Gali.

SERVIÇO

1ª edição do Fivela Fest
Data: 19 de junho
Local: Audio – Francisco Matarazzo, 694
Ingressos: 1º lote – a partir de R$25

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!