Casal gay polonês distribui máscaras arco-íris para combater coronavírus e homofobia no país

Um casal gay polonês teve uma ideia inusitada para ajudar na prevenção do contágio do novo coronavírus e também para combater a homofobia em seu país. Juntos, Jakub e David fizeram centenas de máscaras de proteção com estampa de arco-íris para distribuir em zonas “livres de LGBT”.

A Polônia tem uma política rígida contra a homossexualidade, onde o Partido Legislativo e da Justiça (PiS), grande atuante por lá, faz políticas contra a comunidade LGBTQ+. Segundo o portal ‘Pink News’, o país vem tentando se tornar uma zona ‘livre de LGBT’, cortando verbas e ajudas financeiras de ONGs que trabalham para promover os direitos de igualdade por lá.

O casal fez um vídeo e publicou no YouTube, onde falam um pouco mais sobre o projeto. “Faltam medidas básicas de proteção e as máscaras se tornaram produtos escassos. Por isso, fizemos nossas máscaras e as entregamos às pessoas”, explicam. “Mas nossas máscaras são realmente únicas porque são máscaras arco-íris! Assim chamada por muitos, a ‘praga LGBT’ está ajudando a proteger as pessoas de uma praga real”, completaram.

Jakub conta que pegou emprestada uma máquina de costura da avó e fez 300 máscaras com a ajuda do seu parceiro David para distribuir gratuitamente pelas ruas de Gdansk, Sopot e Gdynia. A reação foi super positiva! No entanto, o vídeo também mostrou alguns momentos de tensão. Um homem aparece na gravação perguntou se havia máscaras de outras cores, o casal respondeu com confiança: “Não”.

Em entrevista ao portal ‘Pink News’, Jakub disse que existem muitas zonas ‘livres de LGBT’ no país e que essa foi a forma que eles encontraram de ajudar a população e educá-la ao mesmo tempo. “Foi ótimo ver que a máscaras arco-íris não assustaram as pessoas, mas as ajudará a se manterem seguras. Muitas pessoas polonesas nos chamam de praga, então pensamos que se ajudarmos as pessoas a superar a praga real, elas podem mudar de ideia”, conta.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!