“Big Brother Portugal” pune participante por homofobia; público deve decidir se ele será expulso

Com apenas dois dias de exibição, o Big Brother Portugal, transmitido pela emissora TVI, já enfrenta uma grande polêmica dentro da casa. Nesta terça-feira (13/05), o participante Hélder Teixeira foi chamado ao confessionário e advertido pelo seu comportamento homofóbico e sexista dentro do reality show. Além disso, a produção decidiu deixar para o público a decisão sobre a expulsão do acusado.

“No ‘Big Brother’, as atitudes sexistas, homofóbicas, xenófobas e racistas são inadmissíveis, tal como na nossa sociedade. Todas essas transgressões são delitos graves que o ‘Big Brother’ jamais vai fechar os olhos. Não é por estar trancado numa casa que você pode dizer e fazer o que te dá na cabeça”, afirmou o “Big Boss”. “Hoje, Portugal acordou extremamente revoltada com seu comentário. É esperado que esta casa seja um reflexo da sociedade de uma forma positiva, e não de uma forma negativa ou preconceituosa”, continuou.

Por fim, Hélder foi informado que a decisão da sua expulsão ficará à cargo do público. “Como não posso deixar passar essa sua atitude em branco, vou dar aos portugueses a oportunidade de decidir se querem que o Helder permaneça no jogo ou que seja expulso”, afirmou a produção do programa.

COMPORTAMENTO HOMOFÓBICO E MACHISTA

O comunicado se referiu à uma frase dita por Hélder durante uma prova de resistência. “Eu prefiro ser mulherengo do que ser…”, comentou o português, apontando com a cabeça para o participante Edmar que é homossexual. Inconformadas com a fala preconceituosa, as participantes Soraia e Iury, com quem Hélder estava conversando, situaram o brother.

Hélder tentou se explicar negando ser homofóbico: “Quando apontei, quis me referir à frase (“Prefiro ser mulherengo do que ser…”) . Esta é uma frase que uso muito, mas não pra magoar ninguém. Se há pessoas com quem adoro conversar é com eles (homossexuais). Adoro falar com eles. E todos conseguem me entender!”.

Ao ser confrontado pelo apresentador Cláudio Ramos, que é homossexual assumido, sobre suas falas em outro momento, ele tentou novamente se justificar: “Adoro esse tipo de pessoas!”, ao que o apresentador respondeu: “Não se refira dizendo ‘tipo de pessoa’, por favor. Não sou um tipo de pessoa. Sou uma pessoa”. Em outro momento, Hélder chega a afirmar que não gosta de falar palavras como “preto” ou “homossexual”. “A minha filha, se tiver que dizer a orientação sexual do pai, diz que ele é homossexual… Agindo assim você magoa estas pessoa”, ponderou o apresentador.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!