Mulher trans põe fogo no próprio corpo em protesto à saúde pública durante epidemia

Protesto radical contra o governo!

Em protesto contra o tratamento da saúde pública em relação à população trans durante a pandemia do novo coronavírus, mulher trans põe fogo no próprio corpo.

Madona Kiparoidze atendeu fogo em si mesma, em frente à prefeitura de Tbilisi, capital da Geórgia, na ultima quinta-feira, 30/04. De acordo com o site ‘Planet Transgender’, ela foi perseguida pela polícia, que removeu suas roupas em chamas e depois a prendeu.

Depois de detida, ela gritou: “sou uma mulher trans e estou me incendiando porque o governo da Geórgia não se importa comigo”. Logo após ser detida, Madona foi levada ao hospital e não corre risco de vida, apesar das queimaduras.

O governo da Geórgia só legitima uma pessoa trans após ter passado por cirurgia de redesignação de gênero, que costumam ser muito caras e, muitas vezes, desnecessárias para algumas pessoas trans. Isso faz com que grande parte da população trans tenha muita dificuldade em encontrar um emprego, além da discriminação de uma forma geral.

Tamaz Sozashvili, cofundador do ‘Tbilisi Pride’, escreveu em seu perfil no Twitter: “Hoje, uma mulher trans tentou cometer suicídio em frente à prefeitura de Tbilisi para protestar contra a imobilidade e a ignorância do governo da Geórgia em relação às pessoas trans durante a crise da COVID-19”.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e redator colaborador de conteúdos sobre diversidade LGBTI+ do portal Pheeno.com.br! #MandaAssunto