Socióloga pede “cancelamento” do termo “mãe” pois o considera transfóbico; entenda

Imagem: pixabay

A socióloga Marília Moschkovich usou o Twitter para pontuar, em formato thread, o quanto a categoria “mãe” é transfóbica e “a pior escolha possível se queremos abordar gravidez”, segundo a mesma define na publicação.

Marília destaca, inclusive, que a língua portuguesa possui outras palavras que podem ser usadas no lugar “mãe” e “maternidade”. “Palavras como ‘gestante’, ‘parturiente’ e ‘lactante’ que podem vir com artigo feminino, masculino ou neutro. A gestante, o gestante, a parturiente, o parturiente, a lactante, o lactante – e todo o espectro não-binário com o artigo ‘e’ ou ‘pessoa'”, explica à socióloga.

Confira a thread completa

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!