Eloina dos Leopardos, a rainha de bateria transexual que encantou Joãozinho Trinta nos anos 1970

Foto: Reprodução/Instagram

Olha que bacana! O blogueiro e influencer Dam Menezes bateu um papo com Eloina dos Leopardos, uma das primeiras rainhas de bateria da história do carnaval. A bela transexual encantou os olhos de Joãozinho Trinta, na Beija Flor, na década de 1970.

Com autorização de Dam, vamos publicar a entrevista na íntegra que ele fez com essa rainha que, aos 73 anos de idade, nunca perdeu sua coroa.

Uma das primeiras rainhas de bateria da história do carnaval carioca é uma transexual. Como é carregar este título?

Eloina: Foi uma glória, tinha glamour. Joãozinho 30 inventou isso. Ele era um gênio, tanto que existe até hoje.

Como você vê a relação do carnaval com as transexuais?

Eloina: Nós trans sempre fizemos parte do carnaval. Gostamos de nos produzir e se enfeitar. Nós amamos um brilho. Carnaval é isso, muito samba no pé e muita produção.

Como você vê a transfobia no Brasil?

Eloina: Infelizmente é um horror, precisamos de leis e com punições mais severas para quem pratica isso contra nós.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Hoje, Domingo de carnaval! 🎉🎈🔥🐱Que alegria, que felicidade estar em SP no @bardadonaonca 💋😘 #eloinadosleopardos #elasquelutem Look @walerioaraujo

Uma publicação compartilhada por Eloinadosleopardosdivas 🦋 (@eloinadosleopardosdivas) em


Você sofreu algum ódio, preconceito ou intolerância por ser uma rainha transexual?

Eloina: Por ser rainha não mas as mulheres de diretores de escolas de samba tinham ódio. Joãozinho inventou a rainha, como já disse, e era uma surpresa pro carnaval e pra escola de samba. Pois não existia a rainha de bateria.

Se eu te falar que hoje em dia tem puxador de escola de samba que usou sua rede social para questionar a formação de família de um casal trans. Qual a sua reação?

Eloina: Acho uma babaquice dele. Hoje o mundo mudou, e é muito mais fácil tudo. Grandes personalidades assumiram suas orientações sexuais. Você vê Rick Martin lindíssimo, com seu marido, e filhos, uma coisa maravilhosa.

Você tem algum recado a ele?
Eloina: Meu querido, você conhece a palavra amor?

Confira a publicação original de Dam Menezes

 

Ver essa foto no Instagram

 

#Historica : #EloinaDosLeopardos , a #RainhaDeBateria trans da década de 70. O assunto da semana no mundo do Carnaval foi #Transexuais e a #Transfobia. *Segundo levantamento de Ongs e Associações, o Brasil, desde 2008, é o país líder – isolado- em assassinatos a transsexuais.* Diante da pauta fui atrás de um bate-papo com ninguém mais, ninguém menos que a deusa Eloina dos Leopardos, uma das primeiras rainhas de bateria da história do Carnaval. A bela transexual que encantou os olhos de #JoãozinhoTrinta, na #BeijaFlor, no meio da decada de 70. Sem rodeios, o bate-papo super agradável e honroso, com esta rainha que, aos 83 anos de idade, nunca perdeu sua coroa. – Uma das primeiras rainhas de bateria da história do Carnaval Carioca é uma transexual. Como é carregar este título? Eloina: Foi uma glória, tinha glamour. Joãozinho 30 inventou isso. Ele era um gênio, tanto que existe até hoje. – Como você vê a relação do Carnaval com as Transexuais? E: Nós trans sempre fizemos parte do carnaval. Gostamos de nos produzir e se enfeitar. Nós amamos um brilho carnaval é isso, muito samba no pé e muita produção. – Como você vê a transfobia no Brasil? E: Infelizmente é um horror, precisamos de leis e com punições mais severas para quem pratica isso contra nós. – Você sofreu algum ódio, preconceito ou intolerância por ser uma rainha transexual? E: Por ser Rainha não mas as mulheres de diretores de escolas de samba tinham ódio. Joãozinho inventou a rainha, como já disse, e era uma supresa pro Carnaval e pra escola de samba. Pois não existia a rainha de bateria. – Se eu te falar que hoje em dia tem puxador de escola de samba que usou sua rede social para questionar a formação de família de um casal trans. Qual a sua reação? E: Acho uma babaquice dele. Hoje o mundo mudou, e é muito mais fácil tudo. Grandes personalidades assumiram suas orientacoes sexuais. Você vê Rick Martin lindissimo, com seu marido, e filhos, uma coisa maravilhosa. – Você tem algum recado a ele? E: Meu querido, vc conhece a palavra AMOR? #Globeleza #Samba #Sambodromo #CidadeDoSamba #Sapucai #MarquesDeSapucai #Brasil #Carnaval #Carnival #ErreJota

Uma publicação compartilhada por Dam Menezes (@dammenezes) em

Thiago Araujo é editor-chefe e criador do Pheeno! Referência no cenário pop LGBTQIA+ nacional, o carioca de 30 anos é jornalista e empresário do ramo do entretenimento, além de agitar as pistas como DJ mundo afora!