Vereadora e missionária de Recife envia emenda e revolta comunidade LGBT: “Não temos que privilegiar minoria”

Nesta semana, a vereadora e missionária Michele Collins (PP) causou grande insatisfação no meio da comunidade LGBT de Recife. Através de suas redes sociais, Michele comunicou aos seus amigos e seguidores que havia enviado uma emenda à Lei Orçamentária Anual (LOA) do Recife na tentativa de redirecionar para outras áreas, verbas de ações que visam os direitos da população LGBT. O comentário foi alvo de uma nota de repúdio da comunidade LGBT.

A nota de repúdio do movimento LGBT diz que a política específica é necessária porque a comunidade LGBT também é um alvo específico. “Se analisarmos a taxa de evasão escolar entre LGBT, os dados sobre LGBT em situação de rua e, sobretudo, o número de homicídios motivados por orientação sexual e/ou identidade de gênero do Recife nos últimos anos, percebemos claramente que há uma disparidade no acesso a esses serviços”.

De acordo com à própria, não têm necessidade de ter políticas públicas específicas para combater a homofobia, pois há assuntos que precisam de mais prioridade. “Nós não temos que privilegiar uma minoria, temos que combater a violência como um todo. Ninguém deve sofrer violência”, defendeu a missionária, que afirmou está sendo alvo de perseguições nas redes sociais, alvo de agressões e ofensas após a emenda.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!