Após beijo, casal gay é agredido e preso por policiais militares de Pernambuco

Dois universitários afirmam que foram agredidos com tapas e xingamentos por policiais militares da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (ROCAM) de Olinda, na Região Metropolitana de Recife, em Pernambuco. Segundo um dos envolvidos, o estudante baiano Magno da Costa Paim, 21 anos, ele e o namorado, o paraense Hector Zapata, 22, estavam acompanhado uma apresentação cultural na Cidade Alta quando dois policiais se aproximaram para uma revista.

A princípio, os agentes revistaram os rapazes e fizeram perguntas de praxe. Após a abordagem, eles se afastaram da dupla, voltando logo em seguida e os agredindo. Segundo Magno, por causa de uma troca de beijos em público. “Inicialmente, a abordagem já foi truculenta, mas era carnaval, a gente acaba entendendo. Perguntaram ‘Vocês têm baseado aí?’, olharam nossa bolsa, etc.”, conta. “Continuamos no local e nos beijamos. Foi quando eles voltaram e disseram que a gente era ‘puto’, que aqui não é a Bahia, que não é lugar de ‘viado’. Aí deram um tapa no meu rosto”, relatou o jovem em entrevista ao jornal “Extra”.

Indignado, Hector pediu a identificação do policial, que o autuou por “desacato à autoridade”. Os policiais foram com Magno e Hector até a Delagacia de Plantão. Ao chegar lá, foram informados que precisavam ir até a Central de Flagrantes de Recife. Quando chegaram, mais uma “surpresa”. Eles passaram de vítima, para acusados. “Fizeram um boletim contra a gente, acusando a gente de atentado ao pudor”, diz Magno. Após o depoimento, o casal foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para exame de corpo de delito. Ao retornarem à Central, foram informados de que o caso não poderia ser registrado “por ter acontecido em Olinda”.

Assista ao desabafo…

 

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!