Confeiteiro nega fazer bolo para casal gay e caso vai parar na Suprema Corte dos EUA

A Suprema Corte, a mais alta instância da Justiça nos EUA, vai decidir sobre o caso da venda de um bolo de casamento para um casal gay no Colorado, um caso que representa um novo embate entre direitos LGBT e religião no país.

A corte disse nesta segunda-feira (26/06) que vai avaliar o motivo de um confeiteiro que não concorda com o casamento de pessoas do mesmo sexo por motivos religiosos para recusar a fazer o bolo de casamento de um casal gay. O caso exige que a Justiça avalie os direitos religiosos do confeiteiro contra o direito do casal em ter tratamento igualitário perante a lei. Disputas semelhantes surgiram em diferentes regiões dos EUA.

A corte vai revisar a decisão da Justiça do Colorado de que o confeiteiro Jack Philips e sua loja Masterpiece Cakeshop discriminaram o casal gay sob a lei do Colorado.

Philips disse a Suprema Corte que ele tem o direito a liberdade de expressão e de religião e que a Primeira Emenda da Constituição americana deveria protegê-lo. Segundo o próprio, ele não deveria ser obrigado a fazer um bolo especificamente para honrar um casamento de pessoas do mesmo sexo.

As leis antidiscriminatórias do Colorado protegem as pessoas em sua orientação sexual. Charlie Craig e David Mullins registraram uma denúncia contra Philips e sua loja.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!