Cidade de São Paulo registra surto de hepatite A; duas mortes são confirmadas

Um surte de hepatite A está afetando a cidade de São Paulo neste ano. Segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde, neste ano, já foram registrados 517 casos, e duas pessoas morreram. Comparado ao mesmo período do ano passado, apenas 54 casos tinham sido notificados. Homens gays e bissexuais formam o principal grupo da doença.

Ambos os homens que morreram, tinham menos de 39 anos. A maioria dos casos, 80%, são homens de 18 a 39 anos que adquiriram a doença através de contato sexual sem proteção. “O que chama atenção, dos casos notificados, é que essa epidemia está sendo mais frequente na população homens que fazem sexo com homens por transmissão sexual”, disse a infectologista Umbeliana Barbosa, do Hospital Emilio Ribas, em entrevista à TV Globo.

Transmissão

O vírus A (HAV) é transmitido apenas por meio fecal-oral. Ele não pode ser contraído por meio de sangue, saliva ou sêmen – como penetração anal desprotegida. Essa transmissão sexual entre gays da qual os médicos falam está se dá por meio do famoso “cunete” – a prática de lamber o ânus do parceiro. Descuidos com a higiene podem aumentar ainda mais a contaminação.

Prevenção

A vacina contra a condição está disponível pelo Sistema Único de Saúde para crianças entre 1 e 2 anos e pessoas com vírus HIV. Porém, qualquer pessoa pode ter acesso ao imunizante na rede particular.

Lavar as mãos antes de comer e preparar as refeições podem ser algumas das medidas de prevenção da hepatite A. Além disso, evitar o consumo de alimentos crus, beber apenas água potável, e praticar sexo anal e oral sempre com o uso de preservativos são outras dicas que ajudam a evitar a doença.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!