Menos de metade dos homens com HIV no mundo está em tratamento, alerta ONU

Dados mundiais divulgadas pela Organização das Nações Unidas mostram que os homens têm menos probabilidades de ter acesso ao tratamento da Aids e mais risco de morrer com doenças relacionadas ao HIV, já que menos da metade dos portadores do vírus estão sendo tratados adequadamente com antirretrovirais.

O relatório indica que, em média, a cobertura do tratamento entre homens de 15 anos ou mais foi de 47% em 2016 em todo o mundo. O índice chega a 60% entre as mulheres. A lacuna entre homens e mulheres é maior na África Central e Ocidental, onde apenas 25% dos homens com HIV recebem tratamento antirretroviral contra 44% das mulheres, embora existam diferenças importantes em outras regiões do mundo.

Globalmente, 36,7 milhões pessoas são portadoras do HIV, mas apenas 20,9 milhões têm acesso ao tratamento contra o vírus. Ainda assim, o número de pessoas que se tratam é quatro vezes maior do que em 2000. Na América Latina, que inclui o Brasil, no entanto, a tendência não se repete: 58% dos homens já fazem o uso dos medicamentos necessários para combater o vírus. Entre as mulheres, o índice é de 59%.

Os dados foram revelados pelo relatório “Blind Spot” (Ponto Cego) publicado nesta quinta-feira (01/12) pelo Programa Conjunto da ONU sobre o HIV/Aids (Unaids) por causa do Dia Mundial da Luta contra a Aids, que foca neste ano no acesso ao tratamento por parte de homens e crianças.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!