Atriz trans, Daniela Vega não recebe homenagem no Chile por causa de “nome de homem”

(Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

Daniela Vega, atriz do filme Uma Mulher Fantástica, fez história no domingo (04/03) ao ver seu filme vencendo o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro – mas sentiu o gosto da discriminação por sua identidade de mulher transgênero poucos dias depois.

O prefeito de Ñuñoa, um distrito de Santiago, disse que não poderia entregar o título porque nos documentos da atriz constam seu nome de nascimento, masculino. “A quem estaremos entregando o prêmio? Se temos a identidade de um homem, não podemos entregá-lo a uma mulher”, disse o prefeito Andrés Zarhi, diante das câmeras de televisão, para quando estava marcada a cerimônia para agraciar Daniela. A atriz foi a primeira transexual a figurar entre o time de apresentadores do Oscar.

No mesmo dia previsto para a premiação em Ñuñoa, Daniela foi recebida pela presidente do Chile, Michelle Bachelet. Na saída do encontro, Daniela criticou a legislação do país, que não permite a mudança de nome no documento. “Na minha identidade tem um nome que não é meu, porque o país onde nasci não me dá a possibilidade (de mudar o nome nos documentos). O tempo vai passando e estamos esperando”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!